MAIS OBRAS - PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Juiz Cristiano Simas é Reconduzido à Turma Recursal de Chapadinha



Via Chapadinha site.

Abaixo, reproduzimos Entrevista com o juiz Dr. Cristiano Simas de Sousa, concedida ao jornalista Fernando Souza Coelho - da Assessoria de Comunicação da Corregedoria Geral da Justiça do Maranhão (CGJMA), em outubro de 2015:


apego aos pais e aos valores familiares o conduziu ao Direito. Anos a fio de estudo e o sonho de seu pai se tornou um sonho também do então bacharel Cristiano Simas de Sousa. Ao lograr êxito no concurso público, fez da magistratura um caminho para promover a cidadania e a paz social.

Juiz com trabalho reconhecido por outros operadores do Direito, destaca que a verdadeira justiça não é àquela se manifesta de forma no julgamento e resolução de pequenos conflitos que afligem os mais humildes e não com julgamento das grandes causas.

Conheça um pouco mais de Cristiano Simas na Seção 'Ser Juiz'. Boa leitura!


QUEM É O JUIZ CRISTIANO SIMAS?

Uma pessoa simples e que sente muito orgulho de pertencer à magistratura de nosso Estado. Sinto-me realizado por fazer parte desta fileira. Não tenho dúvida quanto à força transformadora do trabalho e creio que devemos, com nosso labor, fazer a diferença em uma sociedade que, infelizmente, cada vez mais se notabiliza pela indiferença. Sempre pautei minha vida profissional neste ideal e acredito, firmemente, que com criatividade, seriedade e muito empenho, poderemos transformar a realidade das pessoas que buscam no Poder Judiciário um alento para os inúmeros problemas que enfrentam.

POR QUE ESCOLHEU O DIREITO?

Desde a minha infância sempre fui muito apaixonado pelos livros. Nos finais de semana, enquanto meus colegas brincavam, eu passava a maior parte do tempo lendo. Na adolescência, me inspirei nos clássico e, na maioria das vezes, o Direito estava lá presente, nas entrelinhas. Meu pai sempre foi uma pessoa muito amável e por diversas vezes me dizia que a área do Direito seria um caminho que eu poderia seguir, já que tinha muita facilidade com as letras. No dia em que fui aprovado na UFMA, ele e mamãe estavam ao meu lado, ouvindo no rádio a lista de classificação.

Quando comecei a cursar Direito papai sempre dizia que ficaria muito orgulhoso em ter um filho juiz. Quando consegui realizar esse sonho, que também já era meu, ele já havia falecido. Queria muito ter tido a oportunidade de olhar nos olhos dele e dizer que consegui. Minha mãe também foi fundamental em todo esse processo. Sempre ao meu lado.


O QUE REPRESENTA A MAGISTRATURA PARA VOCÊ?

Um ideal de vida. Sou feliz em minha escolha profissional. Não há um só dia em que não me sinta realizado em trabalhar nesta área. Em servir a sociedade. A verdadeira justiça não é àquela que se constrói através do julgamento das grandes causas, mas àquela que, silenciosamente e sem grande alarido, manifesta-se na resolução dos pequenos problemas que afligem os mais humildes. Ser útil a essas pessoas é algo que só a Magistratura pode me proporcionar com a grandeza de seu significado.

Acrescenta-se que a magistratura que eu conheço é composta, em sua expressiva maioria, por bravos homens e mulheres vocacionados à causa da Justiça e que, com muito sacrifício pessoal, conseguem dignamente administrá-la, com rigor e serenidade, nos locais mais distantes deste Estado.

EM QUAL COMARCA ESTÁ NO MOMENTO?

Na 1ª Vara da Comarca de Chapadinha.



ALÉM DA FUNÇÃO JUDICANTE, QUE AÇÕES DESENVOLVE NA COMARCA?

Participo, assiduamente, das discussões sociais de tudo àquilo que impacta na vida das pessoas que moram na cidade de Chapadinha e Mata Roma, termo judiciário. Hoje, buscamos desenvolver na comarca um trabalho de aglutinação social no sentido de colaborar no combate à criminalidade, tema de grande relevância na época presente. Sem embargo disso ultrapassei, e muito, minhas obrigações funcionais e trabalho continuamente no sentido de humanizar o cumprimento das penas no Centro de Detenção Provisória de Chapadinha e posso ousar em afirmar que temos hoje, senão o melhor, mas um dos melhores presídios de nosso Estado, onde as pessoas que lá estão são tratadas com dignidade e respeito, no estrito cumprimento da legislação de nosso País. Talvez esta seja uma das maiores contribuições que eu venha a prestar a Comarca de Chapadinha.

E COMO TEM VISTO O TRABALHO DA JUSTIÇA NESSA COMARCA?

Satisfatório. A sociedade é a caixa de ressonância da magistratura. Na Comarca de Chapadinha temos uma excelente relação com os advogados, membros do Ministério Público, aparato policial e, acredito, com a população. Isso é muito gratificante.

O SENHOR TEM UM TRABALHO ELOGIADO POR OUTROS OPERADORES DO DIREITO. AO QUE O SENHOR CREDITA ESSE RECONHECIMENTO?

Primeiro à generosidade das pessoas. Sempre tive a felicidade de trabalhar com pessoas que buscavam, sempre, doar-se ao serviço público. Acho que um dos motivos mais significativos que nos levam a exitosa avaliação é que, ao vestir a toga, o faço com irrestrito amor, dedicação e empenho. Em 2015 foi realizada uma Correição Extraordinária aqui na 1ª Vara de Chapadinha e, segundo dados da Corregedoria Geral da Justiça, somente 5% (cinco por cento) dos mais de 4.500 processos apresentaram demora na prestação jurisdicional.

Cito esses números com manifesto orgulho e para lembrar que a paixão pelo serviço público não é só minha. Tenho uma das melhores equipes de servidores deste Estado e a eles dedico cada palavra de reconhecimento ou elogio que venha a receber pelo meu trabalho.

COMO O JUDICIÁRIO PODE CONTRIBUIR PARA O PROCESSO DE PACIFICAÇÃO, FRENTE A UM CENÁRIO DE TURBULÊNCIA SOCIAL?

Assumindo uma postura firme e transparente no enfrentamento dos grandes problemas sociais. A magistratura de nosso País não pode silenciar ante aos achaques daqueles que, focados no interesse pessoal, dilapidam o patrimônio público em detrimento do bem comum. Devemos assumir nosso papel social, o de agentes transformadores e, sem temor, enfrentar àqueles que, sorrateiramente, subtraem do povo seus sonhos e anseios por dias melhores.

QUANDO TIRA A TOGA, QUEM É O CIDADÃO CRISTIANO SIMAS?

Uma pessoa pacata, ciente de suas obrigações de cidadão. Um pai de família que busca viver bem com os seus e educar seus filhos dentro de princípios cristãos e éticos. Não tenho grandes objetivos de vida no que se refere a bens materiais. Busco a felicidade de minha família acima de tudo. A eles dedico tudo o que tenho e sou. Sem eles nada seria.

COMO CUIDA DA SAÚDE?

Estou tentando melhorar minha alimentação e busco, sempre que possível, fazer atividades físicas, especialmente musculação e corrida.


CAMINHO PARA O SUCESSO É?

Ter humildade sempre e a certeza de que não somos seres acabados e sim em constante transformação. Devemos acreditar, vigorosamente, em nós mesmos. De que somos portadores de um potencial interior que precisa ser devidamente trabalhado e estimulado. Somente desta forma conseguiremos alcançar, com perenidade, nossos objetivos.

HOBBY?

Leitura e cinema. Também coleciono selos, hábito que trago de minha adolescência.

LEITURA PREDILETA?

Obras jurídicas, obviamente. Mas também me dedico à leitura de bons livros de filosofia e história, principalmente a do Brasil. Sou o feliz proprietário de uma grande e diversificada biblioteca que venho organizando ao longo dos anos. Para onde vou sempre carrego comigo um de meus livros. Sempre.

FILME QUE MAIS GOSTA E POR QUÊ?

Um Sonho de Liberdade. Baseado na novela “Rita Hayworth and Shawshank Redemption” de Stephen King, o filme retrata a história de Andy Dufresne, um banqueiro que passou quase duas décadas na fictícia prisão estadual de Shawshank, condenado pelo assassinato de sua esposa e do amante dela, apesar de afirmar sua inocência. O filme conta com a participação de Tim Robbins e Morgan Freeman. Apesar de pouco sucesso quando de seu lançamento, em 1994, foi aclamado pela grande crítica como uma das melhores obras cinematográficas de todos os tempos. O enredo é rico e nos relega preciosas lições de vida.

MANIA?

Tenho uma que minha esposa não aprecia. Quando gosto muito de um livro compro dois. Um para manusear e outro para guardar. Meio maluco, mas adoro fazer isso.

O MELHOR DA VIDA É?

A família e a paz interior.

FAMÍLIA É?

O começo e o fim de tudo. De onde partimos e para onde sempre retornamos, seja pelo amor ou pela dor.

O QUE VALORIZA NOS OUTROS?

Honestidade e apego aos ideais.

O QUE NÃO GOSTA NOS OUTROS?

A vaidade incontida. Aquela que cega os olhos, endurece o coração e turva a racionalidade.

SONHO?

Sei que é utópico, mais gostaria que meus filhos pudessem, um dia, viver em uma sociedade verdadeiramente justa, onde o valor de cada pessoa pudesse ser medido não pelo que temos, mas por quem temos.

Fernando Souza Coelho
Assessoria de Comunicação
Corregedoria Geral da Justiça do Maranhão

Nenhum comentário:

Postar um comentário