MAIS OBRAS - PUBLICIDADE

BLOG COMERCIAL

BLOG COMERCIAL

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Na cadeia filho que foi flagrado em vídeo agredindo a própria mãe, idosa de 84 anos

Em entrevista à Rádio Mirante AM, Roberto Elísio Coutinho se diz arrependido em cometer as agressões e afirma que sofre de problemas mentais.


Antes de ser preso na manhã desta sexta-feira (26), Roberto Elísio Coutinho, que foi flagrado em uma série de vídeos agredindo a sua própria mãe, uma idosa de 84 anos, disse em entrevista à Rádio Mirante AM que se arrepende e que fez isso por conta de um problema de saúde mental. Apesar da justificativa, ele também afirmou que o vídeo que mostra as agressões foi editado e não mostra o que ocorreu de verdade.

Roberto estava desaparecido desde noite dessa quinta-feira (25). Após a repercussão dos vídeos nas redes sociais, foi preso em uma residência no município de Raposa, na Região Metropolitana de São Luís (MA). Os vídeos foram gravados pela companheira do agressor, que não teve o seu nome revelado. A idosa foi encaminhada nesta sexta ao Instituto Médico Legal (IML), onde realizou exames.


Na entrevista, Roberto, que é bacharel em direito, disse inicialmente que nunca praticou nenhum tipo de agressão contra sua mãe e contou que largou seu emprego para poder cuidar dela. “Eu não agrido minha mãe. Minha mãe é tudo para mim. Eu não tenho mais pai, entendeu? Já faz 20 anos que meu pai faleceu e eu cuido da minha mãe durante todos esses anos, mesmo depois que ela se aposentou eu larguei tudo meu amigo, eu larguei vida, eu larguei de trabalhar, só para cuidar dela”, afirmou.

Veja a sequência de videos em que agride a própria mãe  
O promotor de Justiça de Defesa do Idoso, José Augusto Cutrim, pediu a prisão preventiva do homem que é bacharel em direito e aparece nos vídeos agredindo a própria mãe com tapas e até com um objeto. A Polícia Civil foi ao condomínio onde ele mora com a mãe, na capital, e não o encontrou na manhã desta sexta-feira (26), mas o agressor acabou sendo preso em outro local.

O promotor disse que além da prisão, o trabalho se desenvolve no sentido de dar suporte à vítima. “Solicitamos a prisão dele pelos crimes de lesão corporal e tortura, que estão previstos no Estatuto do Idoso. Além disso, encaminhamos um grupo de assistência social da promotoria para levantar toda situação da senhora. Saber quais danos foram causados a ela diante de tudo isso, se ela pode ficar com outros parentes ou terá que ser encaminhada a uma casa de abrigo. Tudo isso está sendo levantado”, disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário