segunda-feira, 3 de abril de 2017

Mulher diz que foi estuprada durante calourada na UFMA

Há sete meses o estudante Kelvin Rodrigues foi encontrado morto no Centro de Ciências Humanas na Universidade Federal do Maranhão após uma festa regada a bebida alcoólica chamada de “Encontro da Juventude Porra-Louca”. Como medida para garantir a segurança, o consumo livre de bebida alcoólica na universidade fora banido. Na sexta-feira a reitoria Nair Portela decidiu abolir a normativa e permitir o retorno das tais “calouradas”. Logo no primeiro evento voltaram a ser registrados assaltos dentro do Campus do Bacanga e, o pior, uma garota de apenas 18 anos diz ter sido estuprada dentro da UFMA durante a calourada.

Não irei expor o nome da vítima aqui por questões óbvias.

A garota procurou a delegacia da Vila Embratel e comunicou ter sido estuprada por volta das 22h30 da noite de sexta-feira (31). N.J.M. prestou queixa do crime no dia seguinte e relatou o estupro.

Segundo ela, por volta das 22h30 ela foi abordada por um desconhecido que se aproveitou do seu estado de embriaguez, a levou para um lugar isolado e cometeu o estupro. A jovem não conseguiu dar mais detalhes do ato.


O ato aconteceu um dia após uma palestra ter sido censurada na mesma UFMA sob a alegação de “medidas de segurança”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário